sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Xuxa só para baix... ops! Possuidinhos!



Eis que aparece uma surpresa no quarto do menino endemoniado que será exorcizado! Xuxa faz uma aparição involuntária no filme espanhol "O Dia da Besta" (El día de la bestia, 1995 de Álex de la Iglesia).

Nunca tinham reparado nisso, até que um cinéfilo de olhar mais apurado postou um frame no Facebook. Oportunidade para rever este filme, uma das mais felizes e inteligentes misturas de terror com humor negro.

Desconheçemos se a lenda urbana do pacto com o tinhoso tem proporções internacionais ou é mera coincidência. Ainda mais porque a brasileira tentou emplacar lá fora numa época pré internet, quando era difícil informações não oficiais trafegarem pelo globo.

O pôster da Xuxa na parede é a arte da capa do CD El Pequeño Mundo que ela lançou no mercado de língua espanhola em 1994. Segundo o blog Xuxa Amor Sem fim , de fãs, ele é o mesmo Sexto Sentido distribuído no Brasil, mas em castelhano.

E é justo nesse disco que tem "Juego De La Rima (Jogo da Rima)", a versão da loira para a música "The Name Game" de 1964. Com a letra original em inglês a canção ganhou recentemente uma inusitada popularidade ao aparecer no seriado American Horror Story: Asylum
Fonte: La Dolce Vita

Carne Estranha!

Alguém se habilita a comprar?


Rock Band do Restart!

Com um joystick anatômico, testado pessoalmente por cada um dos integrantes, e indicado para toda "Família Restart"!!


Use com moderação!

Qual Raça você escolheria?

Pitibú ou Púdu?




quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Maldade!

A Maldade está nos olhos de quem vê (ou de quem desenha...)!

Umbanda, Candomblé e Macumba: Aprenda a Diferença

 Macumba é uma espécie de árvore africana e também um instrumento musical utilizado em cerimônias de religiões afro-brasileiras, como o candomblé e a umbanda. O termo, porém, acabou se tornando uma forma pejorativa de se referir a essas religiões - e, sobretudo, aos despachos feitos por alguns seguidores (veja boxe). Na árvore genealógica das religiões africanas, macumba é uma forma variante do candomblé que existe só no Rio de Janeiro. O preconceito foi gerado porque, na primeira metade do século 20, igrejas neopentecostais e alguns outros grupos cristãos consideravam profana a prática dessas religiões. Com o tempo, quaisquer manifestações dessas religiões passaram a ser tratadas como "macumba". Entenda nas próximas páginas as diferenças entre os cultos de origem africana.
Gira no Congá
Cerimônia da umbanda começa com defumação e termina com desincorporação dos médiuns
1. Para entrar no congá - onde rolam as cerimônias da umbanda -, o público deve tirar os sapatos em respeito ao solo, que é sagrado. A cerimônia, chamada de gira, começa à noite, por volta das 20 h, e, quando os fiéis chegam, os médiuns já estão lá, incluindo o sacerdote
2. A preparação do congá, local onde ocorrem as incorporações das entidades, começa com a defumação: ervas como alecrim são queimadas num braseiro. O ritual, que purifica e passa energia, é acompanhado de ponto cantado - todas as cantigas são chamadas de pontos na umbanda
3. Em seguida, o sacerdote ministra um tema de reflexão para o dia, como faz o padre em uma missa católica. Também ocorrem a oração de abertura, os pontos de abertura (que saúdam a umbanda), cânticos ao orixá regente (cada orixá tem seu dia da semana) e a apresentação da linha de trabalho do dia
4. O passo seguinte é a saudação aos guardiões (Exu) e guardiãs (sua versão feminina). Nesse momento, todos viram-se em direção à tronqueira, o "altar" de Exu, do lado de fora do congá. Os fiéis saúdam, reverenciam e pedem proteção aos guardiões que protegem o templo
5. Começa a batida dos atabaques e são entoados os pontos de chamada, cânticos que invocam a linha de trabalho do dia. O sacerdote é o primeiro a incorporar o orixá e, depois que tiver recebido sua entidade, comandará os trabalhos, conduzindo a incorporação dos médiuns
6. Cada médium incorpora só uma entidade (entre orixás e humanos, como o Preto Velho e o Caboclo), mas a mesma entidade pode se repetir - é possível ter dezenas de Pretos Velhos num mesmo terreiro. Após todos incorporarem, ocorre o atendimento ao público
7. Ao final do atendimento, é entoado o ponto de subida, canto que embala a desincorporação dos médiuns. Em seguida, é feita uma prece final de encerramento, e a gira termina por aquela noite.

Despacho na encruzilhada
Nem sempre oferenda é indício de magia negra
Os despachos nos cruzamentos ganharam fama de "macumba" porque são uma das expressões mais visíveis dessas religiões fora dos templos. Mas, na verdade, eles são oferendas para o orixá Exu, geralmente pedindo proteção. São colocados em encruzilhadas porque esses lugares representam a passagem entre dois mundos. Existem, sim, despachos feitos para fazer mal aos outros (mais no candomblé, onde não existe distinção entre o bem e o mal, diferentemente da umbanda), mas nenhuma das religiões incentiva essa prática
Aprendiz de umbanda
Entenda como uma pessoa comum pode se tornar médium e incorporar entidades
1. Quem tem interesse em ser mais que um observador da umbanda pode ir às giras e esperar que a entidade incorporada o identifique. A entidade aponta a "vocação" da pessoa: médium de incorporação, ogã (quem toca os instrumentos) ou um cambone (auxiliares dos médiuns)
2. Os que serão médiuns frequentam as giras de desenvolvimento mediúnico, sessões de iniciação fechadas ao público, nas quais os ogãs entoam cânticos chamando a entidade espiritual. O iniciante medita sobre as vibrações do dia e realiza banhos de ervas e oferendas para o orixá
3. Quando o iniciante começa a incorporar, ele entra na "fase de firmeza", em que, incorporado, risca símbolos no chão, acende velas e conversa com o sacerdote sobre sua forma de trabalho
4. Agora o iniciante já pode aplicar "passes energéticos" em roupas e objetos e imantar água. Em seguida, ele passa a poder aplicar os passes em crianças e, enfim, é inserido na linha de atendimento das giras públicas. Em geral, a iniciação termina depois de alguns meses

Festa no Ilê
Cerimônia do candomblé tem sacrifício de animais, farofa e até cachaça
1. Os procedimentos começam à tarde, com o despacho de Exu, fechado ao público. São sacrificados dois animais (uma ave ou um animal de quatro patas, como bode, para Exu e outro para o orixá homenageado do dia). O sangue dos bichos é derramado sobre o assentamento (ou seja, o "altar") do orixá, em oferenda
2. Os membros se reúnem em círculo no barracão, conhecido como ilê, onde também há uma vasilha com farofa com dendê, feijão ou inhame e um copo com água ou cachaça. São feitos cânticos e orações e um filho de santo leva parte da comida para fora do barracão, em oferenda. A porta é batizada com bebida, já que Exu é o deus dos cruzamentos
3. No fim da tarde, começa o toque, a cerimônia pública. Ao som de atabaques, são entoadas as cantigas de xirê, que homenageiam os orixás. Os filhos de santo entram na roda, um a um, em ordem - o filho de Ogum é sempre o primeiro. Começam as incorporações. Os filhos de santo estremecem, sinal de que a entidade foi incorporada
4. O primeiro a incorporar é sempre o orixá homenageado. O filho ou filha que incorporou o orixá assume o comando da festa, dançando e curando doentes. São auxiliados pelas equedes (ajudantes). Aos poucos, os outros orixás incorporam também
5. A um sinal do babalorixá (pai de santo), os filhos se retiram para uma sala onde se vestem com os trajes dos respectivos orixás. Cada orixá tem uma roupa que difere nas cores e nos acessórios, como a espada de Ogum. Quando voltam, já como divindades, todos ficam em pé para recebê-los
6. Os orixás também voltam em ordem, com exceção do homenageado da noite, que entra primeiro. Quando todos já entraram, cada orixá incorporado dança sozinho para uma música tocada só para ele, utilizando toda a área do barracão. Um por vez, todos os orixás fazem sua dança
7. Ao som dos instrumentos, o orixá senta e começa o atendimento, abençoando e tocando os presentes, além de dar passes. Por volta da meia-noite, os atabaques tocam as cantigas de Oxalá, encerrando a festa. Feito isso, partes dos animais sacrificados são servidas em um jantar feito no barracão.

A grande família
Conheça os orixás mais cultuados nos terreiros
Oxalá
É o orixá da criação e "chefe" de todos os orixás no candomblé
Ogum
Orixá que manipula e forja metais para fazer suas armas
Obaluaiê
Associado à morte e à passagem para o plano espiritual
Oxumaré
É o orixá dos ciclos, dos movimentos e do arco-íris
Oxum
Orixá feminino, é a patrona das águas doces - rios, lagos e cachoeiras
Nanã
A mais velha dos orixás protege os pântanos e as chuvas
Exu
Protetor dos caminhos entre o mundo material e o espiritual
Oxóssi
Orixá da caça, da fartura e da riqueza, é o senhor da floresta
Oçaim
Orixá das folhas sagradas e das ervas medicinais
Xangô
Representa o fogo, o trovão e a justiça. Tem um aspecto viril
Iansã
Orixá dos ventos e das tempestades, é uma entidade passional
Iemanjá
A orixá dos mares e oceanos. É mãe de alguns orixás
Aprendiz de Candomblé
Entenda como uma pessoa comum pode se tornar filho de santo
1. Durante uma festa, a pessoa "bola no santo", tendo tremores que indicam que deve ser iniciada no candomblé. O abiã (iniciante) geralmente veste branco
2. O bori é a cerimônia em que o iniciante faz oferendas para o orixá. Ele também sacrifica aves, como pombos, e depois é marcado com o sangue dos animais
3. Durante 21 dias, o iniciante se recolhe a um quarto chamado roncó. Lá, ele aprende danças, orações, mitos e detalhes sobre seu orixá. Ele não bebe álcool e não conversa
4. O recolhimento é encerrado com o sacrifício de um animal quadrúpede. Ao final, ocorre uma festa chamada orô, em que os abiãs saúdam os presentes, depois dançam e finalmente incorporam seu orixá em público

A orquestra do Orixá
Divindades são chamadas com instrumentos de percussão
Os instrumentos tocados pelos ogãs são, principalmente, atabaques, espécies de tambores que ditam o ritmo da dança. Outros instrumentos bastante usados são o agogô, que traz dois funis metálicos, tocados com uma vareta de ferro, e o xequerê, que é uma semente de cabaça cercada por uma rede de malha com contas, tocada como se fosse um chocalho. O instrumento macumba, que deu nome ao culto, hoje pouco utilizado, é parecido com um reco-reco

Xylocaina do C*!


Ah, os bons tempos do orkut!

Não Use Drogas!


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Ele nunca vai ter uma namorada!


Mulher põe cola na vagina para se passar por virgem para o noivo

Essa notícia, se é que é verdadeira, é antiga (2011), mas não deixa de ser algo hilário:

Uma mulher de 22 anos, que mora na zona sul do Rio de Janeiro (RJ), tomou uma atitude irresponsável, ao inserir cola dentro da vagina com a intenção de ludibriar o noivo, tentando se passar por virgem.

Durante a relação sexual, o noivo não conseguiu consumar o ato e desconfiou que algo de errado estivesse acontecendo com a noiva, pois o órgão da garota estava completamente fechado. “Eu achei que ela tivesse algum tipo de problema”, disse o noivo da jovem.

A descoberta de que a garota estaria com a vagina colada aconteceu quando ela própria resolveu revelar, ao se desesperar por não conseguir urinar.

A jovem foi levada as pressas para o hospital, e atendida imediatamente pelos médicos de plantão de um hospital na zona sul do Rio, e passa bem. A vagina foi descolada.

Fonte: Alagoas Web

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

20 cenas absurdas do cinema indiano


Bollywood é o equivalente a uma Hollywood indiana. E na Índia quanto mais melhor, quanto mais efeitos especiais, quanto mais exagero, quanto mais fodisse mais os indianos comparecem ao cinema, isso acaba gerando cenas hilárias e absurdas que podemos conferir nesse post. 

O duro de ver um filme é que mesmo sendo de ação, policial ou terror, tem muitas horas que eles param a narrativa pra entrar cantorias e coreografias!!! 

E essas partes nem forçando a amizade dá pra aguentar!

Ah, o cartaz acima é do filme Daku-Rani (ê nomezinho...)

Pois bem, dê play ai no vídeo para se ambientar e se divirta!







 


  

  


  

 




  






E para terminar, um bom vídeo com uma amostra de cenas de luta dos filmes indianos:

sábado, 18 de janeiro de 2014

Raio atinge e quebra dedo da mão direita do Cristo Redentor

THOR 01 X 00 CHESSUS

Um dos mais conhecidos pontos turísticos do Brasil, o Cristo Redentor foi danificado depois do temporal que atingiu o Rio nesta quinta-feira (16). Parte do dedo polegar da mão direita do Cristo quebrou..

As imagens registradas nesta sexta (17) mostram que, na mão direita da estátua, o raio danificou o polegar do Cristo. O dano fica claro quando comparado à mão esquerda, que tem o polegar intacto.

De acordo com padre Omar Raposo, reitor do Santuário do Cristo Redentor, que pela manhã deu entrevista à Rádio Globo contando o estrago provocado pelo raio, o dedo médio da mão direita da estátua já havia sido danificado no temporal que atingiu a cidade em dezembro. “Agora registramos uma avaria mais acentuada em toda a mão”, explicou.

Segundo padre Omar, toda a estátua do Cristo Redentor é revestida de pedra sabão. “Temos um estoque dessa pedra, adquirida da mesma pedreira de Minas Gerais de onde saiu o material na construção original do monumento”. Ele destacou ainda que a estátua passa por reforma permanente e que agora serão contratados restauradores alpinistas para reparar os danos.
 
Na noite desta quinta, uma placa informativa, feita de mármore, também foi danificada pelos raios. “Estamos instalando uma Central Digital que vai substituir as placas informativas, porque sempre temos de trocá-las por causa de raios. A os para-raios funcionam, mas essa proteção atmosférica já não está funcionando satisfatoriamente no Cristo”, avaliou padre.


Ao ser questionado se haveria outro sistema para proteger o monumento de descargas elétricas, Omar negou. “Não existe outra medida. Só rezando mesmo.”
De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em todo o estado do Rio de Janeirocaíram mais de 40 mil raios nesta quinta. 



O órgão destaca que o monumento do Cristo é atingido, em média, por seis raios a cada ano.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

John Wayne Gacy: "O Palhaço Assassino"


John Wayne Gacy (17/03/1942-10/05/1994)


Em 1978, a polícia de Chicago fez uma busca na casa n° 8213 da West Summerdale Avenue, interrogando seu morador, John Wayne Gacy, palhaço amador muito querido pelas crianças da cidade e que dificilmente cometeria algum crime. Ledo engano!

Antes de deixarem o local um dos policiais estranhou um cheiro desagradável na casa; "É só um entupimento nos canos de esgoto", explicou Gacy. Mas os policiais decidiram investigar mesmo assim.
No porão, sob um alçapão oculto, foram encontrados os restos de vinte e nove garotos entre nove e vinte e sete anos, com sinais de tortura, violências sexuais e estrangulamento.

John Wayne Gacy Jr., nascido em Chicago em 1942, também teve uma infância meio traumática: era espancado e chamado de "bichinha" pelo pai alcoólatra, sofreu um traumatismo craniano aos 15 anos, e em 1968 foi preso por estar praticando atos sexuais com um jovem no banheiro de um bar.

Gacy começou a matar em 1972, e suas vítimas eram todos homens.
Os rapazes recebiam propostas de emprego, iam até a casa de Gacy, eram embebedados, amarrados numa cadeira e sexualmente violentados.

Em 1988, Gacy foi condenado a 21 prisões perpétuas e 12 penas de morte. Enquanto aguardava no Corredor da Morte do Menard Correctional Center de Illinois, Gacy - apelidado pela imprensa de "Palhaço Assassino" - passava o tempo fazendo desenhos infantis, especialmente de palhaços.
Suas ilustrações são consideradas itens de coleção, e alcançam altos preços no mercado.


O conteúdo abaixo foi retirado do livro "501 Crimes mais notórios".

"John Wayne Gacy cumpriu seu destino."

O crime: Nascido em Chicago, Illinois, no Dia de St. Patrick de 1942, John Wayne Gacy Jr. Foi na infância uma criança problemática. Adulto, após formar-se em administração, ele se mudou para Springfield (não, não é a cidade fictícia de "Os Simpsons") Illinois, onde conheceu e, em setembro de 1964, se casou com Marlynn Myers.

O casal se mudou para Waterloo, Iowa, onde Gacy tornou-se gerente da filial local do Kentucky Fried Chicken. No final de 1968 Gacy foi mandado para a Penitenciária Estadual de Iowa condenado a dez anos de prisão por ter sodomizado dois adolescentes, um de 15 e outro de 16 anos. Durante esse período de detenção, a esposa se divorciou dele, e Gacy nunca mais viu a mulher e os dois filhos.

Libertado, ele trabalhou como vendedor de sapatos e depois como empreiteiro de obras, Em 1971 Gacy comprou uma casa em Norwood Park, subúrbio de Chicago. A casa possuía um vão de 1,2 metro sob o piso.

 
Em junho de 1972 ele se casou com Carole Hoff, mãe de dois filhos, mas em 22 de junho ele foi preso depois de um rapaz acusá-lo de tê-lo estuprado. Carole Gacy sentiu um cheiro emanando do vão sob a casa, mas Gacy atribuiu o odor desagradável  a um cano de esgoto rompido e usou cal para encobrir o cheiro. 

Em 1975, Gacy abriu um negócio próprio, a PDM Contractor, uma construtora. Os Gacy se divorciaram em março de 1976, mesma época em que ele começou a trabalhar personificando o palhaço Pogo em eventos de caridade. 
Em dezembro de 1977 Gacy foi acusado de ter estuprado um rapaz de 19 anos, mas alegou que a vítima  era garoto de programa e o processo foi reduzido à discussão do valor da multa aplicada. Em 13 de dezembro do ano seguinte a policia revistou a casa de Gacy depois de Robert Piest, um estudante de 15 anos, desaparecer.

Um dos policiais havia trabalhado em um necrotério e reconheceu o cheiro familiar. No espaço sob a casa a polícia encontrou restos de sete adolescentes, e havia mais oito enterrados no jardim dos fundos.
Gacy havia matado 33 garotos e homens jovens, mas apenas 24 foram identificados. Ele vagava pelas ruas procurando vítimas, às vezes dizendo ser policial, e completava a farsa com uma luz que colocava em seu carro.

Em sua casa, ele algemava e torturava as vítimas, colocava suas peças de roupa dentro da boca dos torturados para sufocar os gritos e depois os matava.

Em 6 de fevereiro de 1980 o julgamento de Gacy começou no tribunal do condado de Cook em Chicago. Ele foi condenado em 13 de março e sentenciado à morte.
Gacy foi executado por injeção letal no Stateville Correctional Center, Crest Hill, Illionis, em 10 de maio de 1994. Sua última refeição foi uma dúzia de camarões fritos, uma porção de frango com fritas do KFC e morangos frescos. 

Suas últimas palavras: "Beijem minha bunda, vocês nunca encontrarão os outros."
Do lado de fora, manifestantes gritavam: "Justiça, Justiça, Não é tarde demais - John Wayne Gacy cumpriu seu Destino".



Lista de nomes das vítimas identificadas:
* Timothy McCoy (15 anos) Janeiro 3, 1972
* John Butkovitch (17 anos) Julho 29, 1975
* Darrell Sampson (18 anos) Abril 6, 1976
* Randall Reffett (15) Maio 14, 1976
* Samuel Stapleton (14 anos) Maio 14, 1976
* Michael Bonnin (17 anos) Junho 3, 1976
* William Carroll (16 anos) Junho 13, 1976
* Rick Johnston (17 anos) Agosto 6, 1976
* Kenneth Parker (16 anos) Outubro 25, 1976
* Michael Marino (14 anos) Outubro 25, 1976
* Gregory Godzik (17 anos) Dezembro 12, 1976
* John Szyc (19 anos) Janeiro 20, 1977
* Jon Prestidge (20 anos) Março 15, 1977
* Matthew Bowman (19 anos) Julho 5, 1977
* Robert Gilroy (18 anos) Setembro 15, 1977
* John Mowery (19 anos) Setembro 25, 1977
* Russell Nelson (21 anos) Outubro 17, 1977
* Robert Winch (16 anos) Novembro 10, 1977
* Tommy Boling (20 anos) Novembro 18, 1977
* David Talsma (19 anos) Dezembro 9, 1977
* William Kindred (19 anos) Fevereiro 16, 1978
* Timothy O' Rourke (20 anos) Junho 16–23, 1978
* Frank Landingin (19 anos) Novembro 4, 1978
* James Mazzara (21 anos) Novembro 24, 1978
* Robert Piest (15 anos) Dezembro 11, 1978


Artes com os personagens de Futurama